quarta-feira, 3 de junho de 2009

O Desafio

Os três dias mais esperados do ano de 2008, por Carol, se aproximavam. As últimas duas semanas antes do vestibular foram inquietantes. Ela havia decidido largar todos os livros e assistir apenas as aulas do colégio, pois como disse sua mãe: “Se você não aprendeu em 14 anos de estudo, não aprenderá em 14 dias”. Então, a garota de 17 anos, ficou a observar vários de seus amigos se desgastarem nas revisões de véspera dos isolados e aulões. Contudo, sentimentos de culpa e preocupação invadiam sua mente e dominavam seu coração. O medo de fracassar e desapontar seus familiares, amigos e a si mesma não a deixavam se acalmar. Os dias passaram e com eles, como que por um toque de mágica, uma inexplicável tranqüilidade se apoderou da jovem.
Um ambiente repleto de gatos, a mãe a ‘tira-colo’ para dar uma forcinha e a recente calma adquirida a acompanharam por toda a maratona de provas do vestibular 2009 da UFRN. Passado o desafio, agora só restava esperar e esperar. A impaciência voltou e junto a ela a insônia. Mesmo estando consciente de que havia realizado boas provas, o medo da concorrência ou a inexperiência a atingiam. Então, no dia 03 de dezembro, o resultado da primeira fase finalmente foi divulgado.
Caroline passou a manhã inteira inquieta e pela tarde foi comemorar o aniversário do seu tio. No caminho de volta, o trânsito resolveu não colaborar e de repente uma chuva muito forte começou a cair. O tempo passava, o horário da divulgação do resultado se aproximava e nada de chegar em casa. Tudo parecia dar errado. Até que – por volta das 17h 40min – o seu tio aniversariante liga. A garota atende e pressente que com essa ligação viria a notícia da aprovação ou não.
-Alô, tio? E aí?
-Didi, você passou!! E adivinha a sua colocação.
-Sei não tio, diz!
-16a colocada!
O tempo parou. Ela não sabia se ria, gritava ou chorava. Foi um momento de emoção que contagiou todos no carro. E eram abraços e beijos, choros e risos. Ela tinha ficado bem colocada na primeira fase que era o seu maior medo por conter as matérias não específicas de sua área: Humanas II. Com isso a aprovação já era quase certeza.
Quase um mês depois, logo após as festas de final de ano, no dia 02 de janeiro de 2009, saiu o resultado final. Em uma belíssima manhã, o sol forte do meio dia vibrava, assim como o coração da garota. Ao ver o seu nome na tela da televisão foi uma felicidade só! Depois o que era de telefone tocando para parabenizá-la foi um absurdo.
Durou até quase 14h 30min, quando a sua mãe chegou do trabalho para acompanhá-la na festa de aprovação no seu amado colégio. Alegria; comemoração; farinha de trigo; muita tinta; camisa de aprovação com direito a band-aid personalizado; tinha de tudo lá.

Carol estava atônita, não conseguia acreditar que o esforço de 14 anos havia sido recompensado. A primeira etapa para a realização de seu maior sonho, de se tornar uma boa jornalista, havia sido vencida. Agora só restava a dedicação e o empenho ao longo do curso. Mas isso já é outra história que fica para outra edição. ;)

Um comentário:

Anne disse...

O nome da menina aí de cima é SILVIA Caroline!
E eu torci por ela!!!!!!

Beijão!!!!!!!!

Ocorreu um erro neste gadget

Poderá Gostar também:

Related Posts with Thumbnails