domingo, 30 de janeiro de 2011

O fotógrafo da presidente

Edison Castêncio, fotógrafo pessoal da presidente Dilma Rousseff

Edison Castêncio, fotógrafo pessoal da atual presidente do Brasil Dilma Rousseff, trabalhava como flanelinha e vivia perambulando pelas ruas de Porto Alegre até início dos anos de 1980, até que em um belo dia a presidente e seu marido Carlos Araújo – deputado estadual na época – simpatizaram com o rapaz de apenas 24 anos e arrumaram um emprego informal de office-boy no gabinete de Carlos.

Por sorte do destino, os parlamentares ficaram sem fotógrafo para registrar um encontro com o prefeito da época, Alceu Collares. Então, o deputado Araújo recorreu a Edison, que possuía uma máquina fotográfica descartável. As fotos fizeram tanto sucesso que a presidente e o marido lhe deram de presente uma câmera profissional. A partir disso, o ex-flanelinha demonstrou habilidade com a arte de fotografar e começou a registrar imagens de todos os tipos: as festas de aniversário de Dilma até as reuniões políticas do PDT.

Hoje “o Sorriso da presidente”, como ficou conhecido, é dono do Paparazzo Gaúcho que presta serviços de fotografia a políticos do Estado; casou-se com uma assessora do PDT, com quem teve duas filhas e mora na Vila do Panalto, a 500 metros do Palácio do Planalto.

Foto: reprodução

sábado, 29 de janeiro de 2011

Tendência do verão: Espadrilles

O modelo sapatilha (tradicional) foi elegantemente repaginado pela marca Tory Burch


Mais colorida, feminina e com um design mais moderno, a sandália que foi febre nos anos 1970 e 1980 no Brasil, está de volta.


As Espadrilles (pronúncia“espadríes”) surgiram nos anos 1930 nos pés de soldados espanhóis durante a guerra civil. O modelo que era apenas de sapatilha obteve um design mais feminino e moderno com a introdução do salto alto nos anos 1960 - pelo o estilista Yves Saint Laurent - que colocou as sandálias nas passarelas de todo o mundo.

Os modelos mais tradicionais apresentam três características em comum:

- bico arredondado;
- calcanheiras e fecho de cadarço;
- salto feito de juta, uma planta semelhante à palha.

Vantagens

- Salto alto: apesar de alto é leve como uma ‘pluma’.
- Versatilidade: pode ser usado nos mais variados looks - com saias, vestidos, calças e shorts.

Na hora de montar o look lembre-se de combinar os acessórios e as demais peças para que o look final fique bem romântico.


Fotos: reprodução

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Tempestade em Copo D'água

Foto: reprodução

Chuva e mais chuva por todo o Brasil. Mais de 800 mortos no Rio de Janeiro vítimas das enchentes. Uma noite de chuva e total caos no estado do Rio Grande do Norte. Pessoas impossibilitadas de chegarem ao seu destino, carro e preparador físico em Santa Cruz que são levados pela correnteza do rio: acidente com sobrevivente, para a felicidade geral. Ruas alagadas na grande Natal, parte da BR 101 desmoronada. Trânsito parado. Como disse o professor Emanoel Barreto em seu blog: “Uma chuva forte e a cidade se dissolve. Do mesmo jeito que se dissolvem as promessas dos promissores”. Uma dura verdade...

E em meio a todo o alvoroço de explicações acadêmicas, números estatísticos e noticiários do rádio, televisão e internet, fica apenas o sentimento de perda dos que sobreviveram a essa terrível experiência.

Passasse o período chuvoso. As notícias sobre o assunto esfriam e está na hora da próxima pauta. Ninguém mais falará sobre o ocorrido. Só se recordarão novamente quando uma nova enxurrada invadir suas casas e tomar de conta de seus pertences e entes queridos.

Parando para refletir um pouco podemos perceber, metaforicamente falando, que nossa vida é também regada por tempestades. Trovoadas e enchentes lacrimais ocorrem dia após dia, mesmo que seja apenas por dentro. Nos magoamos. Choramos de tristeza pela perda de um familiar ou por causa de uma amizade/amor desfeito. Choramos de alegria, se estamos doentes, se nosso animalzinho de estimação morre... Há também aquelas pessoas que dizem não chorar, afinal temos o ditado machista de “homem não chora”. Anham, Cláudia, senta lá. ¬¬
...
E os dias em que por tudo fazemos uma tempestade em copo d’água? Somente paramos para pensar que essa trovoada que travamos não passa de uma mísera gota ao compararmos com os reais problemas ao redor do país. Por isso, da próxima vez que você ficar de ‘birra’ por nada lembre-se: amanhã pode ser sua casa que foi levada pela chuva. Viva bem o hoje, porque enquanto você lê essa postagem o teto da sua casa pode desabar e você nem conseguirá ler a última palavra desse texto. Filosofia barata de botequim? Não, realidade.

Pense nisso. ;)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Look - Skinny

E o modelo skinny vem sofrendo alterações ultimamente. Bem ao estilo da calça Isabel Marant, a moda agora é usar a skinny com a barra virada e de comprimento mais curto. Para dar aquele toque feminino, um scarpim, sapatilha ou saltinho básico são essenciais.

Quadrilha Contemporânea

Eugênio amava a Laura que admirava o Matheus

que sonhava constantemente com a Catarina

que gostava da Flávia que olhou para o Júlio

que estava interessado no Pedro

que beijava

a Bia

que preferia andar sozinha,

se olhar no espelho e não gostar de ninguém.
.

Eugênio virou engenheiro e foi-se para o Japão, Laura ficou pra titia,

Matheus virou escritor, Catarina montou uma banda com o Júlio,

que virou padrinho da Flávia e do Pedro e meses depois [ambas parcerias] acabaram.

A Bia virou modelo, foi pra Paris, conheceu, casou e teve filhos com o Charles,

que era  fotógrafo de moda e ainda não tinha entrado nessa história.

(Inspirado na composição Quadrilha de Carlos Drummond de Andrade)
Ocorreu um erro neste gadget

Poderá Gostar também:

Related Posts with Thumbnails